Visitar Elvas | Portugal: o que ver e fazer na Cidade Fortificada

Todos sabemos que visitar Elvas equivale a percorrer a maior cidade fortaleza do mundo. Às portas de Espanha, à distância apenas de oito quilómetros da vizinha Badajoz, Elvas tornou-se na mais importante praça-forte da fronteira portuguesa e é hoje uma das cidades mais emblemáticas do Alentejo.

Quem o atesta é a UNESCO que em 2012 listou a “cidade fronteiriça e de guarnição de Elvas e as suas fortificações” como Património Mundial.

Centro histórico, muralhas islâmicas, medievais e seiscentistas, os fortes de Santa Luzia e da Graça, 3 fortins e o Aqueduto da Amoreira constituem a maior fortificação abaluartada do mundo.


Leu o parágrafo anterior e pensa que já sabe o que visitar em Elvas. Desengane-se.

Só em património religioso, o concelho de Elvas tem perto de quarenta igrejas e conventos, sem incluir as ermidas; património arquitetónico, é só perder-se pelas ruas, e o civil soma mais de trinta exemplares entre fontes, chafarizes, arcos e pelourinhos.

Os edifícios militares da antiga praça-forte de Elvas são mais duma vintena. Some museus, monumentos megalíticos e arqueológicos entre antas, necrópoles, vestígios muçulmanos e villae romanas. Assim, é fácil perceber porque Elvas faz parte de listas nacionais e internacionais de locais imperdíveis do nosso Alentejo.

É fácil deixarmo-nos seduzir pela história que evoca e visitar Elvas vai certamente reservar-lhe muitas surpresas. Se estas não forem razões suficientes para o levar a conhecer este recanto encantador do seu Portugal, vamos mostrar os lugares imperdíveis de Elvas para que se convença que vale muito a pena visitar a Cidade Fortificada.

A cidade raiana de Elvas foi pensada e edificada com um único propósito em mente: garantir a defesa nacional na fronteira entre Portugal e Espanha com a construção da maior praça-forte muralhada num local estratégico. E no século XVII, Elvas ganha o título de cidade mais fortificada da Europa o que lhe outorgou o cognome de Rainha da Fronteira.


 
As origens datam de há milénios: os celtas foram os primeiros povoadores, as villae romanas atestam a presença romana, o domínio muçulmano deu-lhe o nome “al-Bash”, a conquista sob a alçada de Afonso Henriques e a reconquista, desta feita, definitiva, por D. Sancho II, sucederam-se contendas com Castela e na dinastia filipina “fomos de Espanha”. Em 1513 é elevada a cidade e aqui foram celebrados casamentos reais.

Estas gentes raianas passaram por provações e pagaram com sangue. Na Guerra da Restauração em 1640, cercos, batalhas, bombardeamentos e epidemias iam perigando a nação e não fossem a população, os soldados e uma força de Estremoz, hoje Portugal poderia ser apenas um nome nos livros de história.

Com a vitória portuguesa na Batalha das Linhas de Elvas, ganhou mais um cognome: “Chave do Reino”. Quem abrisse a entrada de Elvas, chegava a Lisboa.

 Elvas considerada como a segunda cidade alentejana com melhor qualidade e vida, precedida pela monumental Évora, esta cidade-museu oferece a chave ao mundo abrindo as suas portas de par a par e surpreendendo através de todo o seu potencial como destino de Turismo Rural e Turismo Militar.